The Maria da Penha Patrol as an affirmation of women’s rights in the State of Paraná

Authors

  • Franciele Bestel Pereira
  • Henrique Júlio dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv10n2-025

Keywords:

Maria da Penha, protection of women, Military Police, Maria da Penha Patrol, police sciences

Abstract

Addressing a topic of extreme complexity and topicality, domestic and family violence permeates a historical context that highlights its relevance. This problem has been constantly highlighted in the media, highlighting a phenomenon that, although it has gained greater visibility in recent years, has always existed, but was often covered up by social taboos. Notably, women were the primary victims of this type of violence and were often silenced due to entrenched social conventions. The impacts of domestic and family violence are devastating, affecting countless lives. According to the Atlas of Violence (2023), between 2011 and 2021, the number of murders of women reached an average of 1.2 per 100 thousand women in the country. This alarming data illustrates the seriousness and urgency of tackling this problem effectively. Through data analysis, doctrine and interviews, the objective is to analyze the effectiveness and importance of the Maria da Penha Patrol of the Military Police of the State of Paraná as a crucial tool in the affirmation of women's rights, analyzing the theoretical foundation and the practical implementation of this type of patrol, which, although it acts in an ostensive and uniformed way,  Its scope is the optimization of care and greater reception for victims of domestic violence, aiming at the reduction of service rates and the minimization of the number of fatal victims. In this context, the Maria da Penha Patrol in the PMPR emerges as a tool to help meet the established national goals, along with the actions provided for in the internal guidelines of the military organization, playing a fundamental role in the prevention, monitoring and protection of victims.

References

BRASIL. Conselho Nacional do Ministério Público. Violência contra a mulher: um olhar do Ministério Público brasileiro. Brasília: CNMP, 2018. 9 p.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidente da República, 2016.

BRASIL. Formação da Rede de Proteção - Casa da Mulher Brasileira. 2023. Disponível em:<https://www.gov.br/mulheres/pt-br/central-de-conteudos/noticias/2023/dezembro/governo-libera-orcamento-para-construcao-de-mais-13-casas-da-mulher-brasileira >. Acesso em 22 jan. 2024.

BRASIL. Lei Maria da Penha: LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm>. Brasília, DF: Presidente da República, 2016. Acesso em 15 jan. 2024.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social 2021/2030. Disponível em <https://www.gov.br/mj/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/categorias-de-publicacoes/planos/plano_nac-_de_seguranca_publica_e_def-_soc-_2021___2030.pdf/view>. Acesso em 22 de janeiro de 2024.

CARVALHO, Patrícia Cunha Paz Barreto de Carvalho. Lei Maria da Penha como Instrumento de Contenção da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher. Revista da Ejuse, n.º 23, 2015. Disponível em <https://bdjur.stj.jus.br/jspui/bitstream/2011/98727/lei_maria_penha_carvalho.pdf>. Acesso em 22 jan. 2024.

CERQUEIRA, Daniel; BUENO, Samira. Atlas da Violência. 2023. Brasília: Ipea; FBSP, 2023. 41 p.

CEVID, Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. Banco de dados Comparativo/ quantitativo do Paraná. Disponível em: < https://www.tjpr.jus.br/web/cevid/banco-de-dados.>. Acesso em 25 jan. 2024.

HELAL, Ana Cecília Carvalho Souza Morais; VIANA, Masilene Rocha. Patrulha Maria da Penha no Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. JOINPP, MA, 2019. Disponível em <http://www.joinpp.ufma.br/jornadas/joinpp2019/images/trabalhos/trabalho_submissaoId_1481_14815cca18f553f5a.pdf>. Acesso em 03 fev. 2024.

MELLO, Adriana; PAIVA, Lívia. "3.1. Fundamento Constitucional". In: *Lei Maria da Penha na Prática - Ed. 2022*. São Paulo (SP): Editora Revista dos Tribunais, 2022. Disponível em: <https://www.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/31fundamento-constitucional-capitulo-3-a-lei-maria-da-penha-lei-maria-da-penha-na-pratica-ed-2022/1672935396>. Acesso em 22 jan. 2024.

MONTEBELLO, Marianna. A Proteção Internacional aos Direitos da Mulher. Revista da EMERJ - Rio de Janeiro 2000. 156 p. Disponível em: <https://www.emerj.tjrj.jus.br/revistaemerj_online/edicoes/revista11/revista11_155.pdf>. Acesso em 18 jan. 2024.

PIMENTEL, Sílvia. Convenções de direitos humanos sobre direitos da mulher. In: Enciclopédia jurídica da PUC-SP. Coordenação: Celso Fernandes Campilongo, Alvaro de Azevedo Gonzaga e André Luiz Freire. Tomo: Direitos Humanos. Coordenação do tomo: Wagner Balera, Carolina Alves de Souza Lima. 1. ed. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2017. Disponível em: <https://enciclopediajuridica.pucsp.br/verbete/527/edicao-1/convencoes-de-direitos-humanos-sobre-direitos-da-mulher->. Acesso em 18 jan. 2024.

INSTITUTO MARIA DA PENHA. Ciclo da Violência Doméstica. Disponível em <https://www.institutomariadapenha.org.br/violencia-domestica/ciclo-da-violencia.html>. Acesso em 22 de jan. 2024.

PMPR, Polícia Militar do Paraná. A Importância da Lei Maria da Penha e as Ações da PMPR no Combate à Violência Contra a Mulher. PMPR: 2023. Disponível em: <http://intranet.pmpr.parana/?p=613876>. Acesso em 23 jan. 2024.

PMPR, Polícia Militar do Paraná. Procedimentos Operacionais Padrão 100.9. Ocorrências de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher (Lei Maria da Penha) Paraná: PMPR, 2020.

PMPR, Polícia Militar do Paraná. Diretriz 012/2022 - PM/3. Política de Prevenção e Repressão a Violência Doméstica da Polícia Militar do Paraná. Paraná: PMPR, 2022.

PMPR, Polícia Militar do Paraná. Relatório Diagnóstico nº 001/2023 - SUBCG. Política de Prevenção e Repressão a Violência Doméstica da PMPR. Paraná: PMPR, 2023.

WALKER, Lenore. The battered Woman Syndrome. Springer Publishing Company,3d. New York, 2009, p. 90.

LUCENA, Kerle Dayana Tavares de et al. Análise do ciclo da violência doméstica contra a mulher. J. Hum. Growth Dev. São Paulo, v. 26, n. 2, p. 139-146, 2016. Disponível em: <.http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-2822016000200003&lng=pt&nrm=iso.>. Acesso em 03 de fevereiro 2024.

PMPR, 23º Batalhão de Polícia Militar. Ordem de serviço nº 156/2023. Paraná: PMPR, 2023.

PMPR, 23º Batalhão de Polícia Militar. Ordem de serviço nº 164/2023. Paraná: PMPR, 2023.

PMPR, 23º Batalhão de Polícia Militar. Ordem de serviço nº 231/2023. Paraná: PMPR, 2023.

PMPR, 23º Batalhão de Polícia Militar – P/5. Divulgação rede social Instagram 02 dez. 2023. Disponível em: < https://www.instagram.com/p/C0Vs5wBMV-y/?igsh=ZTdld283MnhueGpj >. Acesso em 20 jan. 2024.

PMPR, 23º Batalhão de Polícia Militar – P/5. Divulgação rede social Instagram 02 dez. 2023. Disponível em: < https://www.instagram.com/p/C0VshMYsn1G/?igsh=MTczeDhiaGZ1OG8ybQ== >. Acesso em 20 jan. 2024.

Published

2024-02-15

How to Cite

Pereira, F. B., & dos Santos, H. J. (2024). The Maria da Penha Patrol as an affirmation of women’s rights in the State of Paraná. Brazilian Journal of Development, 10(2), e67236. https://doi.org/10.34117/bjdv10n2-025

Issue

Section

Original Papers