Metodologias ativas em programas e projetos de Iniciação Científica, Educação Científica e Divulgação Científica / Active methods in Scientific Initiation programs and projects science Education and Science Popularization

Authors

  • Shirley de Lima Ferreira Arantes
  • Simone Ouvinha Peres

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-119

Keywords:

Metodologias Ativas, Educação Científica, Iniciação Científica, Divulgação Científica.

Abstract

O artigo apresenta programas e projetos de iniciação científica, educação científica e divulgação científica para a educação básica no País, com o objetivo de evidenciar a utilização de metodologias ativas para a construção dos conhecimentos científicos e tecnológicos de jovens. Para a realização do estudo utiliza técnicas de pesquisa bibliográfica e documental. Os resultados construídos mostram que as dinâmicas e os pressupostos educacionais dos modelos baseiam-se na utilização de metodologias ativas e participativas, em uma perspectiva sociocultural, inferindo também os contributos da maior disponibilidade de recursos educativos, humanos e materiais. Evidencia-se que a maioria das iniciativas busca se contrapor ao modelo de educação liberal, envolvendo, em graus diversos, mecanismos de garantia da participação de jovens pobres, negros, mulheres e em contextos de vulnerabilidade social, com o propósito explícito de contribuir para a transformação de suas condições materiais de existência. Conclui-se que, em uma sociedade profundamente desigual como o Brasil, a institucionalização dos programas e projetos por meio de financiamento estável é essencial para sua continuidade. Além disso, novos investimentos são urgentes para favorecer a retomada das atividades em suspensão e expandir as atividades, de maneira que mais jovens possam ser contemplados.

References

ARANTES, Shirley de Lima Ferreira. Iniciação Científica no Ensino Médio: a educação científica e as disposições sociais de jovens dos segmentos desfavorecidos. 2015. 252f. Tese (Doutorado em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social) – Instituto de Psicologia, UFRJ, Rio de Janeiro, 2015.

ARANTES, S. L. F.; PERES, S. O.. O passaporte de Lorrayne: juventudes, pobreza e o acesso à educação científica. In: ARANTES, S. L. F.; SILVA, K.; MIRANDA, V. R. E.. Ações Afirmativas e Relações Étnico-Raciais. Belo Horizonte: EdUEMG, 2017. p.120-149.

ARANTES, S. L. F.; PERES, S. O. Iniciação Científica no Novo ensino Médio: desafios para a superação de antigos problemas. In: MUCH, L. N.; CENTA, F. G.; KRÜGER, K. (Orgs.). Novo Ensino Médio: desafios administrativos, estruturais e pedagógicos para sua implementação. Rio de Janeiro: Libroe, 2020. https://doi.org/10.35417/978-65-991247-2-3_99

ARANTES, S. L. F.; PERES, S. O. Programas de iniciação científica para o ensino médio no Brasil: educação científica e inclusão social. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del Rei v. 10, n.1, São João del-Rei, jan./jun. 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-89082015000100004 Acesso em jan. 2019.

CAMPELO, A. M. Dualidade Educacional. In: PEREIRA, I. B.; LIMA, J. C. F. (Orgs.). Dicionário da Educação Profissional em Saúde, Rio de Janeiro: EPSJV, 2008.

FERREIRA, C. A.; PERES, S. O.; BRAGA, C. N.; CARDOSO, M. L. M. (Org.). Juventude e Iniciação Científica: políticas públicas para o ensino médio. Rio de Janeiro: EPSJV, UFRJ, 2010.

FERREIRA, Cristina Araripe. O Programa de Vocação Científica da Fundação Oswaldo Cruz: fundamentos, compromissos e desafios. In FERREIRA, C. A.; PERES, S. O.; BRAGA, C. N.; CARDOSO, M. L. M. (Org.). Juventude e Iniciação Científica: políticas públicas para o ensino médio. Rio de Janeiro: EPSJV, UFRJ, 2010. p. 27-52.

GURGEL, Clidiene da Silva. Educação Científica contínua: o caso do Centro de Educação Científica da Escola Alfredo J. Monteverde. Trabalho de Conclusão de Curso, Pedagogia, Universidade Federal Do Rio Grande Do Norte – UFRN, 2016, 24f.

INSTITUTO SANTOS DUMONT, Nota oficial, 12/12/2017.

Disponível em: http://www.institutosantosdumont.org.br/2017/12/12/nota-oficial-centros-educacao-cientifica/. Acesso em 13 jan. 2020.

LANE, S. T. M. A Psicologia Social na América Latina: por uma ética do conhecimento. In: CAMPOS, R. H. F.; GUARESCHI, P. A. (Org.). Paradigmas em Psicologia Social: a perspectiva Latino-Americana. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 58-69.

LARA, Ellys Marina de Oliveira et al. O professor nas metodologias ativas e as nuances entre ensinar e aprender: desafios e possibilidades. Interface, Botucatu, v. 23, e180393, p. 1-15, 2019. https://doi.org/10.1590/interface.180393.

LIMA, Valéria Vernaschi. Espiral construtivista: uma metodologia ativa de ensino-aprendizagem. Interface (Botucatu), Botucatu , v. 21, n. 61, p. 421-434, Jun. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622016.0316

MARANHÃO, T. P. A. Avaliação de impacto da Olimpíada Brasileira de Matemáticas nas Escolas Públicas (OBMEP – 2005/2009). In Avaliação do impacto da Olimpíada Brasileira de Matemática nas escolas publicas, Série Documentos Técnicos. Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2011.

MARTIN-BARÓ, I. Sistema, Grupo y Poder. San Salvador: UCA Ed., 1989.

MOEHLECKE, S. O ensino médio e as novas diretrizes curriculares nacionais: entre recorrências e novas inquietações. Revista Brasileira de Educação, v.17, n.49, p.39-58, 2012.

MOURTHE JUNIOR, Carlos Alberto; LIMA, Valéria Vernaschi; PADILHA, Roberto de Queiroz. Integrando emoções e racionalidades para o desenvolvimento de competência nas metodologias ativas de aprendizagem. Interface, Botucatu, v. 22, n. 65, p. 577-588, 2018. https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0846

NASCIMENTO, M. N. M. Ensino Médio no Brasil: determinações históricas. Publicatio Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes, v.15, n.1, p.77-87, 2007.

OLIVEIRA, G. B. M.; OLIVEIRA, P.; BARROS, D. B. T.; SCHALL, V. T. Avaliação das contribuições do programa de iniciação científica no ensino médio e profissional enquanto estratégia de melhoria na formação de jovens em Minas Gerais, Brasil. In CUETO, S (Ed). Reformas Pendientes en la educación secundaria. Santiago: PREAL, 2009. p. 181-220.

OVIGLI, Daniel Fernando Bovolenta; FREITAS, Denise de; CALUZI, João José. Quando os museus de ciências tornam?se espaços de formação docente. In: PIROLA, NA. (Org). Ensino de ciências e matemática, IV: temas de investigação [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p. 95-114.

PAULINO, A. G.; IBEIRO, C. C. (2009). Compromisso social da Universidade: o Programa de Iniciação Científica na UFLA [Abstract] Anais do Congresso de Extensão da UFLA/I Fórum Regional de Extensão, (n.p.). Recuperado em 11, maio, 2014 de http://www.proec.ufla.br/conex/ivconex/arquivos/trabalhos/a82.pdf.

PAVAO, Antônio Carlos; LEITÃO, Ângela. Hands-on? Minds-on? Hearts-on?

Social-on? Explainers-on! In: MASSARANI, L., MERZAGORA, M., RODARI, P. (Org.). Diálogos & Ciência: mediação em museus e centros de ciência. Rio de Janeiro: Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2007. p. 40-46.

RIBEIRO, M. G., FRUCCHI, G. Mediação – a linguagem humana dos museus. In: MASSARANI, L., MERZAGORA, M., RODARI, P. (Org.). Diálogos & Ciência: mediação em museus e centros de ciência. Rio de Janeiro: Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2007. p.68 -74.

RODARI, Paola; MERZAGORA, Matteo. Mediadores em museus e centros de ciência: Status, papéis e capacitação. Uma visão geral européia. In: MASSARANI, L.,

MERZAGORA, M., RODARI, P. (Org.). Diálogos & Ciência: mediação em museus e centros de ciência. Rio de Janeiro: Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2007. p.08 -21.

SANTOS, G. L.; ABREU, P. H. Avaliação do impacto da Olimpíada Brasileira de Matemáticas nas Escolas Públicas (OBMEP): explicitação de condições de sucesso em escolas bem sucedidas. In: Avaliação do impacto da Olimpíada Brasileira de Matemática nas escolas públicas, Série Documentos Técnicos. Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2011.

SCHWARTZMAN, S.; CHRISTOPHE, M. A educação em ciências no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto do Estudo do Trabalho e Sociedade, 2009.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23ª ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SIMON, Eduardo et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem e educação popular: encontros e desencontros no contexto da formação dos profissionais de saúde. Interface, Botucatu, v. 18, supl. 2, p. 1355-1364, 2014. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622013.0477

VASQUES, Daniel Giordani; OLIVEIRA; Victor Hugo Nedel. Iniciação científica na educação básica: estado do conhecimento a partir de artigos científicos de 2010-2020. Revista CAMINE: Caminhos da Educação, Franca, v. 12, n. 1, 2020.

WHERTHEIN, J.; CUNHA, C. Educação Científica: desenvolvimento e cidadania. In WHERTHEIN, J.; CUNHA, C. (Orgs.). Ensino de Ciências e desenvolvimento: o que pensam os cientistas. 2ª ed. Brasília: UNESCO, Instituto Sangari, 2009. p.15-56.

ZANON, D. A. V.; FREITAS, D. A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental: ações que favorecem a sua aprendizagem. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 93-103, 2007.

Published

2021-02-08

How to Cite

Arantes, S. de L. F., & Peres, S. O. (2021). Metodologias ativas em programas e projetos de Iniciação Científica, Educação Científica e Divulgação Científica / Active methods in Scientific Initiation programs and projects science Education and Science Popularization. Brazilian Journal of Development, 7(2), 13496–13515. https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-119

Issue

Section

Original Papers