Cadeias de produção sustentáveis no extrativismo de castanha do Brasil na Amazônia brasileira / Sustainable production chains in Brazil brown extractivism in brazilian amazon

Authors

  • Thiago Paixão da Silva
  • Altem Nascimento Pontes
  • Alisson Rangel Albuquerque

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-687

Keywords:

Extrativismo, Povos tradicionais, Cadeia produtiva, Amazônia

Abstract

O extrativismo é uma atividade praticada na Amazônia desde a era pré-colombiana e até a chegada dos colonizadores, tinha função de alimentação e de atender as necessidades de subsistência das comunidades de povos nativos. A coleta da castanha-do-brasil é elemento da conservação da biodiversidade em unidades de conservação (UCs) amazônicas e também de atendimento às necessidades e direitos dos povos tradicionais e indígenas. O objetivo do presente trabalho é demonstrar a importância das cooperativas de castanha-do-brasil que trabalham de forma sustentável na Amazônia contribuindo para a preservação da espécie por meio da prática milenar do extrativismo. A cadeia produtiva da castanha-do-brasil é complexa, compreendendo diversos atores de variados segmentos que levam o produto da floresta à mesa do consumidor. São notórios os benefícios obtidos por meio da organização e profissionalização das comunidades extrativistas da castanha-do-brasil, de modo a garantir um caráter sustentável de produção.

References

ALMEIDA, J. J. Do extrativismo à domesticação: as possibilidades da castanha-do-pará. [s.l: s.n.].

ANGELO, H. et al. Determinantes do preço da castanha-do-brasil (bertholletia excelsa) no mercado interno brasileiro. Scientia Forestalis/Forest Sciences, v. 41, n. 98, p. 195–203, 2013.

BARBOSA, M. A. M.; MORET, A. S. PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DA CASTANHA DO BRASIL: ECONOMIA E DISPONIBILIDADE FINANCEIRA (SUBSISTÊNCIA DAS FAMÍLIAS RESIDENTES EM RESERVAS EXTRATIVISTAS). R. gest. sust. ambient., v. 4, n. 2, 2016.

BATISTA, A. P. B. et al. Spatial association of fruit yield of Bertholletia excelsa Bonpl. trees in eastern Amazon. Forest Ecology and Management, v. 441, n. March, p. 99–105, 2019.

BATISTA, J. F.; MURATORI, A. M.; PENHA, M. R. Meio ambiente e recursos naturais: uma discussão sobre planejamento e desenvolvimento. Revista Labirinto, v. 13, n. 18, 2013.

BAYMA, M. et al. Aspectos da cadeia produtiva da castanha-do-brasil no estado do Acre, Brasil. v. 9, n. 2, p. 417–426, 2014.

BAYMA, M. M. A. Castanha-do-brasil?: cadeia produtiva se destaca no agronegócio acreano. Disponível em:

<https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1037575/1/25945.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2020.

BRASIL. Castanha-do-Brasil: Boas Práticas para o extrativismo sustentável orgânico. Cadernos de Boas Práticas para o Extrativismo Sustentável Orgânico da Castanha-do-brasil, v. 1, p. 43, 2017.

BROSE, M. E. Cadeias produtivas sustentáveis no desenvolvimento territorial: a castanha na Bolívia e no Acre, Brasil. Interações (Campo Grande), v. 17, n. 1, p. 77–86, 2016.

CARDOSO, D. et al. Amazon plant diversity revealed by a taxonomically verified species list. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 114, n. 40, p. 10695–10700, 2017.

CONAB. Preços médios semanais. Disponível em: <http://sisdep.conab.gov.br/precosiagroweb/?page=reports.RelatorioSiagroPrecoMedioPDF>. Acesso em: 3 fev. 2020.

COSTA, M. S. B. DA. O Ambiente e a Castanha-do-brasil (Bertholletia Excelsa Bonpl.) na Comunidade São Sebastião do Igapó Açu: Um Estudo na RDS Igapó Açu, Borba-AM. [s.l.] Universidade Federal do Amazonas, 2017.

COSTA, W. M. DA. Arranjos comunitários, sistemas produtivos e aportes de ciência e tecnologia no uso da terra e de recursos florestais na Amazônia. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 5, n. 1, p. 41–57, 2010.

COSTA, J. R. et al. Aspectos silviculturais da castanha-do-brasil (bertholletia excelsa) em sistemas agroflorestais na Amazônia Central. Acta Amazonica, v. 39, n. 4, p. 843–850, 2009.

COUTO, L. C. et al. Vias de valorização energética da biomassa. Biomassa Energia, v. 1, n. 1, p. 71–92, 2004.

DE SOUZA, C. R. et al. Desempenho de espécies florestais para uso múltiplo na Amazônia. Scientia Forestalis/Forest Sciences, n. 77, p. 7–14, 2008.

EMBRAPA. Castanha-do-brasil: uma alternativa de reflorestamento. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/17988458/castanha-do-brasil-uma-alternativa-de-reflorestamento>. Acesso em: 8 jun. 2020.

EMBRAPA. Tecnologias para o fortalecimento da cadeia de valor da castanha-do-brasil. Disponível em: <https://www.embrapa.br/roraima/busca-de-projetos/-/projeto/206511/tecnologias-para-o-fortalecimento-da-cadeia-de-valor-da-castanha-do-brasil>. Acesso em: 10 jan. 2020.

FERREIRA, I. I. A. et al. Crescimento de castanheira-do-brasil em condições de cultivo. 15° Congresso Nacional de Meio Ambiente. Anais...Poços de Caldas-MG: 2018

FERREIRA, M. J.; GONCALVES, J. F. DE C.; FERRAZ, J. B. S. Crescimento e eficiência do uso da água de plantas jovens de castanheira-da-amazônia em área degradada e submetidas à adubação. Ciência Florestal, v. 22, n. 2, p. 393–401, 2012.

FORMIGONI, I. A exportação de castanha do Pará. Disponível em: <http://www.farmnews.com.br/dados/exportacao-de-castanha-do-para/>. Acesso em: 2 nov. 2019.

FREITAS, J. D. L. DE et al. Arboreal florist composition in an extractivist reserve area in Amapá, Brazil. Revista em Agronegocio e Meio Ambiente, v. 11, n. 1, p. 277–300, 2018.

FVA. Unini - O rio da sustentabilidade: bases socioambientais para a gestão da bacia do rio Unini e de suas unidades de conservação. Manaus: Fundação Vitória Amazônia, 2011.

GARCIA, W. S. et al. Demanda De Produtos Florestais Não Madeireiros: O Caso Do Açaí E Da Castanha-Do-Pará. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 11, n. 4, p. 1039, 2018.

GUERRA, F. G. P. D. Q. Contribuição Dos Produtos Florestais Não Madeireiros Na Geração De Renda Na Floresta Nacional do Tapajós-PA. [s.l.] Universidade Federal do Paraná, 2008.

HOMMA, A. A Terceira Natureza da Amazônia The Third Nature of the Amazon La Tercera Naturaleza de la Amazonia. Revista Paranaense De Desenvolvimento, v. 38, n. 132, p. 27–42, 2017.

HOMMA, A. K. O. Cronologia da destruição e ocupação dos castanhais no sudeste paraense. 1. ed. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2000.

HOMMA, A. K. O. Extrativismo Vegetal na Amazônia. Livro, p. 468, 2014.

HOMMA, A. K. O. Por que o brasil deixou de ser o maior produtor mundial de castanha-do-brasil. Disponível em: <https://www.todafruta.com.br/por-que-o-brasil-deixou-de-ser-o-maior-produtor-mundial-de-castanha-do-brasil/>. Acesso em: 1 dez. 2019.

HOMMA, A. K. O. . et al. The Economic Reasons of Natural Resource Destruction: the Case of Brazil Nut Trees in the Southeast of Para State. world congress of rural sociology, v. 1, n. 20, p. 220, 2000.

IBGE. PRODUÇÃO DA EXTRAÇÃO VEGETAL E DA SILVICULTURA. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=774>. Acesso em: 10 jan. 2020.

IBGE. Quantidade produzida e valor da produção na extração vegetal, por tipo de produto extrativo. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/home/pmc/brasil>. Acesso em: 10 jun. 2020.

IBGE. Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura - PEVS. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9105-producao-da-extracao-vegetal-e-da-silvicultura.html?=&t=downloads>. Acesso em: 8 jun. 2020.

ICMBIO. Resex Chico Mendes. Disponível em: <https://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/amazonia/unidades-de-conservacao-amazonia/9732-reserva-extrativista-chico-mendes?highlight=WyJtZW5kZXMiXQ==>. Acesso em: 12 jun. 2020.

INPA. AGROPECUÁRIA ARUANÃ S/A CASTANHEIRAS EM ITACOATIARA-AM. Disponível em: <https://www.inpa.gov.br/pupunha/empreendedores/aruana.html>. Acesso em: 10 jun. 2020.

JOSA, I. O.; LOPEZ, F.; DURIGAN, C. C. Agroextrativismo sustentável no “Rio da fome”: quebrando paradigmas produtivos na bacia do Rio Negro. Inclusão Social, v. 6, n. 2, p. 20–25, 2013.

LOCATELLI, M. et al. CASTANHA-DO-BRASIL – OPÇÃO PARA SOLO DE BAIXA FERTILIDADE NA AMAZÔNIA. Disponível em: <http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/54332/1/locatelli-2003.pdf>. Acesso em: 7 jun. 2020.

LOCATELLI, M. et al. Sistemas agroflorestais agroecológicos em Rondônia – classes de solos e crescimento de espécies florestais. I Encontro de Laboratórios da Amazônia Ocidental. Anais...Manaus: 2012

LORENZI, H. A?rvores Brasileiras - Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasi. 7. ed. Nova Odessa-SP: [s.n.].

MACHADO, M. R. et al. Aspectos Silviculturais da Castanha-do-Brasil (Bertholletia excelsa Humb. e Bonpl.). Biotaamazonia, v. 7, n. 3, p. 41–44, 2017.

MACIEL, R. C. G. Certificação ambiental: Uma estratégia para conservação da floresta amazônica. [s.l.] Universidade Estadual de Campinas, 2007.

MAROCCOLO, J. F. et al. O papel das associações e cooperativas na estruturação da cadeia produtiva da castanha-do-brasil (bertholletia excelsa) no estado do mato grossoSociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. [s.l: s.n.].

MAROCOLLO, J. F.; DINIZ, J. D. DE A. S.; ECHEVERRY, S. M. V. A cadeia produtiva da castanha-do-brasil em dois Territórios da Cidadania no estado do Mato Grosso?: diferenças e semelhanças nos avanços da organização social e construção de merca ... GT 07 - Mercados Agroalimentares e Reconfigurações Socioeconômicas no. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/327427297_A_cadeia_produtiva_da_castanha-do-brasil_em_dois_Territorios_da_Cidadania_no_estado_do_Mato_Grosso_diferencas_e_semelhancas_nos_avancos_da_organizacao_social_e_construcao_de_mercados/link/5b8ef308299bf114b7f60d86/download>. Acesso em: 11 jun. 2020.

MIRANDA, E. DE et al. Contribuições do geoprocessamento à compreensão do mundo rural e do desmatamento no bioma Amazônia. Revista do Desenvolvimento Regional, v. 17, n. 1, p. 16–34, 2020.

MIRANDA, L. S.; IMPERATRIZ-FONSECA, V. L.; GIANNINI, T. C. Climate change impact on ecosystem functions provided by birds in southeastern Amazonia. PLoS ONE, v. 14, n. 4, p. 1–17, 2019.

MOLL-ROCEK, J.; GILBERT, M. E.; BROADBENT, E. N. Brazil Nut ( Bertholletia excelsa , Lecythidaceae) Regeneration in Logging Gaps in the Peruvian Amazon . International Journal of Forestry Research, v. 2014, p. 1–8, 2014.

MORI, S. A.; PRANCE, G. T. Taxonomy, Ecology, and Economic Botany of the Brazil Nut. Advances in Economic Botany, v. 8, n. January 2016, p. 130–150, 1990.

MULLER, C. H.; FIGUEIRÊDO, F. J. C.; CARVALHO, J. E. U. DE. Características comparativas entre frutos e sementes de castanheira-do-Brasil. EMBRAPA/CPATU Documento 82, v. 2835, p. 21p., 1995.

NÓBREGA, M. D. S. Informações Técnico-Econômicas – Castanha do Brasil. Boletim Técnico do SEBRAE, p. 1–5, 2015.

NODA, H.; NODA, S. DO N. Agricultura familiar tradicional e conservação da sócio-biodiversidade amazônica. Interações, v. 4, n. 6, p. 55–66, 2003.

PEREIRA, D. T. DE O.; NOBRE, J. R. C.; BIANCHI, M. L. Energy quality of waste from Brazil nut (bertholletia excelsa), in the state of Pará. Brazilian Journal of Physical Therapy, p. 3258–3265, 2019.

PICANÇO, C. A. S.; COSTA, R. C. Análise da cadeia produtiva da castanha-do-Brasil coletada na reserva biológica do Rio Trombetas, Oriximiná, Pará. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 10, p. 19460–19483, 2019.

PIMENTEL, L. D. et al. Estimativa de Viabilidade Econômica no Cultivo da Castanha-do-Brasil. Informações Econômicas, v. 37, n. 6, p. 27–36, 2007.

POMARA, L. Y. et al. Avian Composition Co-varies with Floristic Composition and Soil Nutrient Concentration in Amazonian Upland Forests. Biotropica, v. 44, n. 4, p. 545–553, 2012.

RODRIGUES, G. Caminhando na Floresta. 1. ed. Rio Branco: [s.n.]. v. 1

SALOMÃO, R. DE P. et al. Castanheira-do-brasil recuperando áreas degradadas e provendo alimento e renda para comunidades da Amazônia Setentrional. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Naturais, v. v.1 n.2, n. Agosto de 2006, p. 65–78, 2007.

SANTANA, A. C. DE et al. Evidências do Mercado de Produtos da Pequena Produção na Região da Transamazônica e BR-163 no Estado do Pará. Revista de Estudos Sociais, v. 17, n. 35, p. 186, 2015a.

SANTANA, A. C. DE et al. Valoração dos danos ambientais causados por hidrelétricas para a produção de energia na bacia do Tapajós Valuation of the environmental damages caused by hydroelectric plants for energy production in the river basin of Tapajós O ativo ambiental do bioma a. Reflexões Econômicas, v. 1, n. 1, p. 31–48, 2015b.

SANTANA, A. C. DE et al. O Custo Socioambiental da Destruição de Castanheiras (Bertholletia excelsa) no Estado do Pará. Revista de Estudos Sociais, v. 18, n. 37, p. 3, 2017a.

SANTANA, A. C. DE et al. Valoração e sustentabilidade da castanha-dobrasil na Amazônia. Revista Ciências Agrárias, v. 60, n. 1, p. 77–89, 2017b.

SANTOS, A. O Papel Das Políticas Públicas Na Conservação Dos Recursos Naturais. Revista Geográfica Acadêmica, v. 10, n. 2, p. 18–29, 2016.

SANTOS, C. DA C. S. et al. Descarte E Reaproveitamento De Residuos Da Castanha Do Brasil ( Bertholletia Excelsa ) Em Uma Cooperativa Extrativista No Município De Laranjal Do Jari. I Congresso Sul -Americano de Resíduos Sólidos e Sustentabilidade. Anais...Gramado: 2018.

SANTOS, J.; SALOMÃO, R.; MACIEL, M. Castanheira - uma das espécies de árvores mais longevas da Amazônia. Disponível em: <https://www.museu-goeldi.br/noticias/castanheira-uma-das-especies-de-arvores-mais-longevas-da-amazonia>. Acesso em: 7 jun. 2020.

SANTOS, R. História Economica da Amazônia: 1800-1920. São Paulo: [s.n.].

SCOLES, R.; GRIBEL, R.; KLEIN, G. Crescimento e sobrevivência de castanheira (Bertholletia excelsa Bonpl.) em diferentes condições ambientais na região do rio Trombetas, Oriximiná,. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. …, v. 6, n. 3, p. 273–293, 2011.

SILVA, A. A. et al. Potencial do extrativismo da castanha-do-pará na geração de renda em comunidades da mesorregião baixo amazonas, pará. Floresta e Ambiente, v. 20, n. 4, p. 500–509, 2013.

SILVA, L. D. J. DE S. et al. O Extrativismo Como Elemento De Desenvolvimento E Sustentabilidade Na Amazônia: Um Estudo a Partir Das Comunidades Coletoras De Castanha-Do-Brasil Em Tefé, Am. Revista Destaques Acadêmicos, v. 11, n. 2, p. 168–187, 2019.

SILVA, L. DE J. DE S. et al. Castanha-do-Brasil: Aspectos Socioeconômicos nas Comunidades da RDS Piagaçu- -Purus, Município de Anori, AM. 1. ed. Manaus: [s.n.].

SILVA, S. P. Estado e políticas públicas no mercado de castanha-dobrasil no Estado do Acre: uma análise pela abordagem do desenvolvimento local. IDeAS, v. 4, n. 1, p. 1–26, 2010.

SOUZA, C. S. DO C. R. DE et al. Biomassa, crescimento e respostas ecofisiológicas de plantas jovens de bertholletia excelsa bonpl. Submetidas a diferentes níveis de irradiância. Ciencia Florestal, v. 27, n. 2, p. 557–569, 2017.

SOUZA, J. M. L. DE. Industrialização da castanha-do-brasil. Disponível em: <https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/agroenergia/arvore/CONT000fbl23vn102wx5eo0sawqe3djg2152.html>. Acesso em: 9 jun. 2020.

SOUZA, M. L. DE; MENEZES, H. C. DE. Processamentos de amêndoa e torta de castanha-do-Brasil e farinha de mandioca: parâmetros de qualidade. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 24, n. 1, p. 120–128, 2004.

SOUZA, I. F. Cadeia produtiva de castanha-do-Brasil (Bertholletia excelsa) no estado de Mato Grosso. [s.l.] Universidade de Mato Grosso do Sul, 2006.

TOLEDO, R. A. DE et al. Panorama nacional da cadeia de valor da castanha-do-brasil. [s.l: s.n.].

WADELLI, E. V.; SOUSA, M. DO P. S. DE. Análise da sustentabilidade de sistemas agrofiorestais do Estado do Amazonas através de sua diversidade florística. Congresso Brasileiro de Sistemas agroflorestais. Anais...Manaus: 2000

WADT, L. H. DE O. Árvore do conhecimento: castanha-do-brasil. Disponível em: <https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/castanha-do-brasil/arvore/CONT000fthbvxzx02wyiv80otz6x99cj3lnt.html#>. Acesso em: 10 jun. 2020.

WADT, L. H. DE O. et al. Primary and secondary dispersal of Bertholletia excelsa: Implications for sustainable harvests. Forest Ecology and Management, v. 415–416, n. February, p. 98–105, 2018.

Published

2020-08-31

How to Cite

Silva, T. P. da, Pontes, A. N., & Albuquerque, A. R. (2020). Cadeias de produção sustentáveis no extrativismo de castanha do Brasil na Amazônia brasileira / Sustainable production chains in Brazil brown extractivism in brazilian amazon. Brazilian Journal of Development, 6(8), 63460–63478. https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-687

Issue

Section

Original Papers