Fatores de risco para doença cardiovascular em adultos jovens sedentários / Risk factors for cardiovascular disease in sedentary young adults

Authors

  • Ezequiel Benedito Avelino Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Pollyana Soares de Abreu Morais
  • Andrea Carla Brandão da Costa Santos
  • Ana Carolina Nunes Bovi
  • Natália Herculano Paz
  • Alinie Lígia da Silva Santos
  • José Heriston de Morais Lima

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-337

Keywords:

Doença Cardiovascular, Fatores de Risco, Sedentarismo.

Abstract

Objetivo: Avaliar os fatores de risco para doença cardiovascular em adultos jovens sedentários. Metodologia: Tratou-se de um estudo de caráter transversal, descritivo, com abordagem quantitativa, realizado na clínica escola de fisioterapia do UNIPÊ, com 30 indivíduos na faixa etária entre 20 e 24 anos. Foi utilizado um roteiro de entrevista semiestruturado, contendo variáveis sociodemográficas, dados clínicos, fatores de risco e conhecimento acerca dos fatores de risco e das medidas preventivas. Os dados foram analisados através da estatística descritiva, com cálculo de média, desvio padrão para variáveis numéricas e proporção para variáveis nominais, sendo atendida a Resolução 466/12. Resultados: Os resultados revelaram que 86,67% (n=26) era sexo feminino e 13,33% (n=4) do sexo masculino, com média de idade de 21,63 ± 1,30 anos, e diagnóstico de hipertensão arterial autorreferido em 20% (n=6) das pessoas. Constatou-se como fatores de risco mais prevalentes os psicossociais e obesidade. Os entrevistados possuíam conhecimento sobre os fatores de risco e como prevenir as doenças cardiovasculares, porém apenas 26,6% (n=8) desenvolviam hábitos de vida saudável. Com relação a análise do IMC, 43,3% (n=13) apresentaram sobrepeso ou obesidade, e sobre a RCQ 84,62% (n=22) do sexo feminino e 75% (n=3) no sexo masculino, apresentaram resultados elevados. Conclusão: Diante do exposto, observa-se a necessidade da identificação e controle dos fatores de risco para que estratégias de promoção de saúde sejam desenvolvidas e que minimize o risco do desenvolvimento de cardiopatias.

 

 



References

Balbinot, RAA. Diabetes, doenças cardiovasculares e obesidade: análise da legislação na Argentina, no Brasil e na Colômbia. R Dir Sanit. São Paulo, 2014, 15(2): 91-107.

Bernhard, JC et al. Cardiovascular risk in rural workers and its relation with body mass index. Arch Endocrinol Metab, São Paulo, 2018, 62(1).

Melo, JB et al. Fatores de risco cardiovascular em mulheres climatéricas com doença arterial coronariana. Int J Cardiovasc Sci, Rio de Janeiro, 31(1).

Carvalho, CA et al. Associação entre fatores de risco cardiovascular e indicadores antropométricos de obesidade em universitários de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva, 2015.

Paulitsch, RG, Dumith, SC, Susin, LR. Odeh. Simultaneidade de fatores de risco comportamentais para doença cardiovascular em estudantes universitários. Rev Bras Epidemiol. São Paulo, 2017, 20(4).

Covatti, CF et al. Fatores de risco para doenças cardiovasculares em adultos e idosos de um hospital universitário. Nutr Clín Diet Hosp, 2016; 36: 24-30.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Análise de Situação em Saúde, 2007. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_brasil_2007.pdf>. Acesso em 24 nov. 2018.

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica-ABESO. Diretrizes Brasileiras de Obesidade, São Paulo, 4ed., 2016.

Silva, VN. Estudo comparativo entre o índice cintura-quadril com o sintoma de dispneia em adultos sedentários. Revista Científica Linkania Master, 2013, 1(5).

Sociedade Brasileira de Cardiologia – SBC, Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. 7 Arq Bras Cardiol, Rio de Janeiro, 2016, 107(3).

Wolrd Confederation for Physical Therapy. London: WCPT Trading Limited; c1953-2017. Disponível em:< https://goo.gl/S2JDgW> Acesso em 24 nov. 2018.

Wermelinger, M et al. A força de trabalho do setor de saúde no brasil: focalizando a feminização. Revista Divulgação em Saúde para Debate, Rio de Janeiro, 2010. (45): 54-70.

Gama, WM. et al. Determinação dos riscos cardiovasculares em adultos jovens universitários. R. Saúde Pública, Santa Catarina, 2017, 10(3).

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde 2013: IBGE faz um amplo retrato da saúde dos adultos brasileiros, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-contato.html>. Acesso: 24 nov. 2018.

Moreira, TMM, Gomes, EB, Santos, JC. Fatores de risco cardiovasculares em adultos jovens com hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus. Rev Gaúcha Enferm, 2013.

Gomes, CM. et al. Estresse e risco cardiovascular: intervenção multiprofissional de educação em saúde, Rev Bras Enferm, 2016, 69: 351.

Bernardo et al. Associação entre atividade física e fatores de risco cardiovasculares em indivíduos de um programa de reabilitação cardíaca, Rev Bras Med Esporte, São Paulo, 2013, 19(4).

Pacheco, AJC, Santos, CSVB. Depressão em pessoas com doença cardíaca: relação com a ansiedade e o controlo percebido. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, 2015, 14.

Sociedade Brasileira de Cardiologia – SBC, Diretriz Brasileira de Prevenção Cardiovascular; 1 Arquivo Brasileiros de Cardiologia, 2013, 101(6): 21-31.

Mendes, FA, Silva, MP, Ferreira, CRS. Diagnósticos de enfermagem em portadores de hipertensão arterial na atenção primária. Estação Científica (UNIFAP), Macapá, 2018, 8(1): 91-101.

Toledo, MTT, Abreu, MN, Lopes, ACS. Adesão a modos saudáveis de vida mediante aconselhamento por profissionais de saúde. Rev. Saúde Pública, 2013.

U.S. Department of Health and Human Services. Physical Activity Guidelines for Americans. 2 ed. Washington, DC, 2018.

Pires, CGS, Mussi, SC. Excesso de peso em universitários ingressantes e concluintes de um curso de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enf, 2016, 20(4).

Fogaça, LT et al. Avaliação da razão cintura-quadril de indivíduos cardiopatas. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 2014, 40.

Barros, ALBL et al. Alterações do nível pressórico e fatores de risco em graduandos de enfermagem. Acta Paul Enferm, 2009, 22(773).

Published

2020-08-19

How to Cite

Avelino, E. B., Morais, P. S. de A., Santos, A. C. B. da C., Bovi, A. C. N., Paz, N. H., Santos, A. L. da S., & Lima, J. H. de M. (2020). Fatores de risco para doença cardiovascular em adultos jovens sedentários / Risk factors for cardiovascular disease in sedentary young adults. Brazilian Journal of Development, 6(8), 58843–58854. https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-337

Issue

Section

Original Papers