Emergência de plântulas e desenvolvimento inicial de mudas de aroeira sob diferentes substratos / Emergency of seedlings and initial development of aroeira under different substrates

Authors

  • Mizael Freitas Oliveira
  • Edvan Costa da Silva
  • Paulo Henrique Aragão Catunda
  • Erika dos Santos Silva
  • Nayara Santos Leite

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-138

Keywords:

Aroeira-do-sertão, espécie nativa, Myracrodruon urundeuva Allemão, parâmetros morfológicos.

Abstract

É fundamental o uso de um bom substrato que proporcione condições favoráveis para a nutrição e desenvolvimento de mudas florestais. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho, foi testar a influência de diferentes substratos na emergência de plântulas e desenvolvimento inicial de mudas de aroeira. O experimento foi conduzido no Viveiro Florestal Berço da Natureza, pertencente área da UHE (Usina Hidroelétrica de Estreito), localizado no Município de Estreito – MA. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e cinco repetições, sendo cada unidade experimental formada por 9 plantas. Os tratamentos testados foram; T1 100% substrato padrão; T2 90% substrato padrão + 10% esterco; T3 90% substrato padrão + 10% de fosfato de rocha; T4 80% substrato padrão + 20% de fosfato de rocha; T5 70% substrato padrão + 10% esterco + 20% de fosfato de rocha.  Para analisar a eficácia dos tratamentos, as características morfológicas altura da parte aérea, diâmetro do coleto e número de folhas, foram avaliados aos 30, 60, 90, 120 e 150 dias após o plantio. Aos 150 dias foram analisadas o comprimento radicular, massa seca da parte aérea, massa seca radicular, massa seca total, e determinado a relação massa seca da parte aérea e radicular e o índice de qualidade de Dickson. O tratamento formulado com 70% de substrato padrão, 10% de esterco e 20% de fosfato de rocha, foi o que apresentou melhor desempenho. O tratamento formulado com 90% de substrato padrão e 10% de esterco demostrou excelentes resultados quanto aos parâmetros morfológicos analisados, porém ele apresentou um percentual de emergência muito baixo, o que torna sua utilização pouco recomendável.

References

ARTHUR, A.G.; CRUZ, M.C.P.; FERREIRA, M.E.; BARRETTO, V.C.M.; YAGI, R. Esterco bovino e calagem para formação de mudas de guanandi. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, n.6, p.843-850, 2007.

CARNEIRO, J.G.A. Produção e Controle de Qualidade de Mudas Florestais. Curitiba: UFPR/FUPEF, 1995. 451p.

CORADIN, L.; CAMILLO, J.; PAREYN, F.G.C. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro: região Nordeste. Brasília, DF: MMA, 2008. 1311p.

COSTA, E.G.; BARRETO, C.F.; FARIAS, R.M.; MARTINS, C.R. Propagação de amoreira-preta em diferentes substratos e estimuladores de enraizamento. Brazilian Journal of Development, v.6, n.6, p. 36654-36662, 2020.

DICKSON, A.; LEAF, A.L.; HOSNER, J.F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, v36, n.1, p.11-13, 1960.

GOMES, J.M. Parâmetros morfológicos na avaliação de mudas de Eucalyptus grandis, produzidas em diferentes tamanhos de tubete e de dosagens de N-PK. 2001 Tese de Doutorado, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2001.

GOMES, J.M.; PAIVA, H.N. Viveiros florestais: propagação sexuada. Viçosa: Editora UFV, 2004. 116p.

GONÇALVES, J.L.M.; SANTERELLI, E.G.; NETO, S.P.M.; MANARA, M.P. Produção de mudas de espécies nativas: substrato, nutrição, sombreamento e fertilização. In: GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. (Eds.) Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: ESALQ/USP, p.309-350, 2000.

GRAVE, F.; FRANCO, E.T.H.; PACHECO, J.P.; SANTOS, S.R. Crescimento de plantas jovens de Açoita-cavalo em quatro diferentes substratos. Revista Ciência Florestal, v. 17, n. 4, p.289-298, 2007.

KRATZ, D.; WENDLLING, I.; NOGUEIRA, A. C.; ZOUZA, P. V. Propriedades físicas e químicas de substratos renováveis. Revista Árvore, v.37, n.6, p.1103-1113, 2013.

LIMA, L.K.S.; MOURA, M.C.F.; SANTOS, C.C.; NASCIMENTO, K.P.C.; DUTRA, A.S. Produção de mudas de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Allemão) em resíduos orgânicos. Revista Ceres, v. 64, n.1, p.1-11, 2017.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 5. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum de Estudo da Flora, 2008. 384p.

MAGUIRE, J.D. Speed of germination AID in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v.2, n.2, p.176-177, 1962.

MATIAS, R.A.M.; VENTUROLI, F.; LIMA, M.B.O.; MARTINS, T.O. Efeito da adubação suplementar foliar associada a diferentes substratos em mudas de Myracrodruon urundeuva Allemã. Brazilian Journal of Development, v.5, n.11, p.25617-25629, 2019.

OLIVEIRA, J.S.; NUNES, H.B.; SOUSA, A.X. Avaliação da taxa de germinação e do desenvolvimento de Barriguda (Cavanillesia arborea) com uso de substratos alternativos. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v.11, n.1, p.83-88, 2011.

OLIVEIRA, M.C.; OGATA, R.S.; ANDRADE, G.A.; SANTOS, D.S.; SOUZA, R.M.; GUIMARÃES, T.G.; MANOEL JÚNIOR, C.S.; PEREIRA, D.J.S.; RIBEIRO, J.F. Manual de viveiro e produção de mudas: espécies arbóreas nativas do Cerrado. Brasília: Rede de Sementes do Cerrado, 2016. 124p.

PAREYN, F.G.C.; ARAUJO, E.L.; DRUMOND, M.A.; MIRANDA, M.J.A.C.; SOUZA, C.A.; SILVA, A.P.S.; BRAZOLIN, S.; MARQUÊS, K.K.M. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro: região Nordeste. Brasília, 2018. Cap. 5, p. 766-772.

QUEIROZ, F.L.C.; SCARAMUZZA, W.L.M.P.; TSUKAMOTO, A.A.F. Influência do lodo de caleiro na qualidade de mudas de pinhocuiabano. Multitemas, v.1, n.42, p.101-113, 2012.

SCALON, S.P.Q.; TEODÓSIO, T.K.C.; NOVELINO, J.O.; KISSMANN, C.; MOTA, L.H.S. Germinação e crescimento de Caesalpinia ferrea Mart. Ex Tul. em diferentes substratos. Revista Árvore, v.35, n.3, p.633-639, 2011.

SCALON, S.P.Q.; MUSSURY, R.M.; RIGONI, M.R.; VERALDO, F. Crescimento inicial de mudas de espécies florestais nativas sob diferentes níveis de sombreamento. Revista Árvore, v.26, n.1, p.1-5, 2002.

SCREMIN-DIAS, E.; KALIFE, C.; MENEGUCCI, Z.R.H.; SOUZA, P.R. Produção de mudas de espécies florestais nativas: manual. Campo Grande: Ed. UFMS, 2006. 59p.

SOUZA, F.; MENGARDA, L.; SPADETO, C.; LOPES, J.C. Substratos e temperaturas na germinação de sementes de gonçalo-alves (Astronium concinnum Schott). Revista Tropica: Ciências Agrárias e Biológicas, v.6, n.3, p.76-86, 2012.

TSUKAMOTO FILHO, A.A.; CARVALHO, J.L.O.; COSTA, R.B.; DALMOLIN, A.C.; BRONDANI, G.E. Regime de regas e cobertura de substrato afetam o crescimento inicial de mudas de Myracrodruon urundeuva. Floresta e Ambiente, v.20, n.4, p.521-529, 2013.

Downloads

Published

2020-08-12

How to Cite

Oliveira, M. F., Silva, E. C. da, Catunda, P. H. A., Silva, E. dos S., & Leite, N. S. (2020). Emergência de plântulas e desenvolvimento inicial de mudas de aroeira sob diferentes substratos / Emergency of seedlings and initial development of aroeira under different substrates. Brazilian Journal of Development, 6(8), 56093–56105. https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-138

Issue

Section

Original Papers