A violência doméstica durante a quarentena da COVID-19: entre romances, feminicídios e prevenção / Domestic violence during the quarantine of COVID-19: between novels, femicides and prevention

Authors

  • Romero de Albuquerque Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-161

Keywords:

COVID-19, Violência doméstica, Morte, Agressão física.

Abstract

A pandemia do novo coronavírus, intitulado Sars-CoV-2 e causador da doença intitulada COVID-19, tem acarretado diversos distúrbios sociais, econômicos e financeiros em diversas partes do globo.  Dentre esses distúrbios, ressalta-se a violência doméstica que é entendida como problema de saúde pública e de violação dos direitos humanos  pela Organização Mundial da Saúde. Assim, este estudo teve como objetivo investigar a violência contra a mulher durante o período de quarentena do COVID-19. A pesquisa foi baseada nos aportes teóricos de Hannah Arendt e Pierre Bourdieu, além de relatos midiáticos nacionais e internacionais sobre violência contra as mulheres durante a quarentena. Do ponto de vista metodológico, é um estudo de caso, a partir de uma abordagem qualitativa. Os resultados indicam que o isolamento social por imposição política e epidemiológica é o ambiente propício para a ocorrência de atos de violência e mortes de mulheres.

References

ALEMANY, C. Violências. In: HIRATA, H. et al. Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: UNIFESP, 2009.

ARENDT, H. Da Violência. Tradução de Maria Cláudia D. Trindade. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1985.

______. A condição humana. 10. ed. Tradução de Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

BITTENCOURT, Renato Nunes. Pandemia, isolamento social e colapso global. Revista Espaço Acadêmico, v. 19, n. 221, p. 168-178, 2020.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BRASIL. Lei no. 11.340, de 07/08/2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm>. Acesso em: 03 de abril de 2020.

CFEMEA. Centro Feminista de Estudos e Assessoria. Lei Maria da Penha: do papel para a vida. Comentários à lei 11.340/2006 e sua inclusão no ciclo orçamentário. Brasília: CFEMEA/CECIP, 2007.

COE – Council Of Europe. COVID-19 crisis: Secretary General concerned about increased risk of domestic violence. 2020. Disponível em: < https://www.coe.int/en/web/portal/-/covid-19-crisis-secretary-general-concerned-about-increased-risk-of-domestic-violence>. Acesso em: 03 de abril de 2020.

COSTA, P. R. S. M. Violências contra mulheres em tempos de COVID-19. 2020. Disponível em: < http://www.ufs.br/conteudo/65089-violencias-contra-mulheres-em-tempos-de-covid-19>. Acesso em: 03 de abril de 2020.

DAHLBER L. L.; KRUG, E. G. Violence - a global public health problem. In: Krug E.G, Dahlber L.L, Mercy J.A, ZWI AB, Lozano R. World report on violence and health. Genebra: World Health Organization; 2002. p. 1-22.

GOMES, C. M. Marcas da violência contra a mulher na literatura. Revista Diadorim - Revista de Estudos Linguísticos e Literários do Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Volume 13, Julho 2013. Disponivel em: < http://www.revistadiadorim.letras.ufrj.br>. Acesso em: 03 de abril de 2020.

HEISE, L.; ELLSBERG, M.; GOTTEMOELLER, M. Ending Violence against Women. Baltimore, USA: Population Reports, 1999.

MARANHÃO, R. A.; MARANHÃO, R. A. Novo coronavírus (2019-nCoV): uma abordagem preventiva para o setor hoteleiro. Brazilian Journal of health Review, Curitiba, v. 3, n. 2, p. 2814-2828 mar./apr. 2020. Disponível em: < http://www.brjd.com.br/index.php/BJHR/article/view/8466 >. Acesso em: 05 de abril de 2020. DOI:10.34119/bjhrv3n2-125

MARANHÃO, R. A.; SENHORAS, E. M. "Pacote econômico governamental e o papel do BNDES na guerra contra o novo coronavírus". Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 2, n. 4, 2020.

MERELES, C. Entenda a Lei do Feminicídio e por que ela é importante. 2019. Disponível em: <https://guiadoestudante.abril.com.br/blog/atualidades-vestibular/ entenda-a-lei-do-feminicidio-e-por-que-e-importante/>. Acesso em: 05 de abril de 2020.

MINAYO, M. C. S.; SOUZA, E. R. Violência e saúde como um campo interdisciplinar e de ação coletiva. História, Ciências, Saúde, Rio de Janeiro, v. IV (3), p. 513 – 531, nov. 1997 – fev. 1998.

OLIVEIRA, A. C. M. Reflexões sobre a mulher e a importunação sexual nos transportes públicos brasileiros. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade Evangélica de Goianésia – FACEG, 2019. Disponivel em: < http://repositorio.aee.edu.br/jspui/ handle/aee/8382>. Acesso em: 03 de abril de 2020.

OLIVEIRA, A. C. G.; COSTA, M. J. S.; SOUSA, E. S. S. Feminicídio e violência de gênero: aspectos sociojurídicos. TEMA-Revista Eletrônica de Ciências (ISSN 2175-9553), v. 16, n. 24; 25, 2016.

OPAS - ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA SAÚDE. Folha informativa - Violência contra as mulheres. 2017. Disponível em: < https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5669:folha-informativa-violencia-contra-as-mulheres&Itemid=820 >. Acesso em: 05 de abril de 2020.

PINHEIRO, P. S.; ALMEIDA, G. Violência Urbana. São Paulo: Publifolha, 2003.

ROMERO, T. I. Sociología y política del feminicidio: algunas claves interpretativas a partir de caso mexicano. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 29, n. 2, p. 373-400, maio/ago. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/se/v29n2/04.pdf>. Acesso em: 02 de abril de 2020.

SARAMAGO, J. Ensaio sobre a Cegueira. Editorial Caminho, 1995. p. 310.

SPBANCÁRIOS – Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Em 2018, foram registrados 1.206 feminicídios no Brasil. 2019. Disponível em: https://spbancarios.com.br/09/2019/em-2018-foram-registrados-1206-feminicidios-no-brasil. Acesso em: 02 de abril de 2020.

Published

2020-04-17

How to Cite

MARANHÃO, R. de A. A violência doméstica durante a quarentena da COVID-19: entre romances, feminicídios e prevenção / Domestic violence during the quarantine of COVID-19: between novels, femicides and prevention. Brazilian Journal of Health Review, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 3197–3211, 2020. DOI: 10.34119/bjhrv3n2-161. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BJHR/article/view/8879. Acesso em: 28 feb. 2024.

Issue

Section

Original Papers