Fatores de risco para Síndrome de Burnout entre médicos

Risk factors for burnout syndrome among physicians

Authors

  • Barbara Guarany Passos
  • Gracielly Maria Marinho Aragao
  • Anny Karolinny Ferreira Sobrinho
  • Carolina Helena Lira Viana da Silva
  • Gabrielle Lutterbach Erthal
  • Camila Coelho Nóbrega Riedel
  • João Victor Oliveira Cavalcanti
  • Júlio Oliveira Rocha

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n5-172

Keywords:

Síndrome de Burnout, pandemia, exaustão ocupacional

Abstract

A Síndrome de Burnout, segundo o CID-11, incorpora percepção de exaustão, exaustão mental ocupacional e redução da eficiência laboral, podendo associar-se à comorbidades psiquiátricas como transtorno depressivo maior, transtornos dissociativos, transtorno adaptativo e dependência química. Essa revisão de literatura tem como objetivo caracterizar e avaliar a síndrome de Burnout, para estimar a sua prevalência na população médica e elucidar a necessidade de intervenções interpostas a serem realizadas tanto pelo médico, indivíduo que sofre em decorrência da síndrome, como pela organização ocupacional na qual o profissional exerce suas atividades. Importante frisar que essa síndrome teve sua abrangência e importância ampliados gradativamente ao longo dos anos, principalmente devido a eventos de larga escala, como a pandemia pelo vírus COVID-19, ressaltando o grupo de profissionais do setor da Saúde. Nesse âmbito, o presente trabalho evidencia um grupo específico: os médicos, visto que fazem parte de uma parcela de risco por diversos fatores como a carga horária extensa, a tensão emocional, o sentimento de impotência e a pressão frente à luta constante com o sofrimento, a dor e a morte agravados no período pós-pandêmico.

References

BOND, MMK et al. Prevalência de Burnout entre Médicos Residentes de um Hospital Universitário. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 3, p. 97-107, 2018.

GALEGO EA, RIOS LF. El síndrome de “burnout” o el desgaste professional. Assoc Esp Neuropsiq. v. 11, n. 39, p. 257-65, 1991.

JUÁREZ GARCÍA, A. Síndrome de burnout en personal de salud durante la pandemia COVID-19: un semáforo naranja en la salud mental. Revista de la Universidad Industrial de Santander. Salud, v. 52, n. 4, p. 432-439, 2020.

MAGALHÃES, RAC; GLINA, DMR. Prevalência de Burnout em médicos de um Hospital Público de São Paulo. Saúde Ética & Justiça, v. 11, n. 1-2, p. 29-35, 2006.

MOREIRA, HA et al. Síndrome de Burnout em médicos: uma revisão sistemática. Rev Bras Saude Ocup. v. 43 p. e3, 2018.

PÊGO, FPL et al. Síndrome de Burnout. Revisão da Literatura. Rev Bras Med Trab. v. 14, n. 2, p. 171-6, 2016.

PERNICIOTTI, P et al. Síndrome de Burnout nos profissionais de saúde: atualização sobre definições, fatores de risco e estratégias de prevenção. Rev. SBPH, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, 2020.

ROTENSTEIN, LS. et al. Prevalência de burnout entre médicos: uma revisão sistemática. Jama, v. 320, n. 11, p. 1131-1150, 2018.

SILVEIRA, FF; BORGES, LO. Prevalência da Síndrome de Burnout entre Médicos Residentes. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 41, 2021.

TIRONI. M.O.S. Trabalho e síndrome da estafa profissional (síndrome de burnout) em médicos intensivistas de salvador. Rev Assoc Med BraS; v. 55, n. 6, p. 656-62, 2009.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). ICD-11. International Classification of Diseases for Mortality and Morbidity Statistics [Internet]. (Acessado em 18 de setembro, 2022).

ZHANG, Q et al. Burnout em médicos de emergência: uma meta-análise e revisão sistemática. Medicina, v. 99, n. 32, 2020.

ZHOU, AY et al. Fatores associados ao burnout e estresse em médicos estagiários: uma revisão sistemática e metanálise. Rede JAMA aberta, v. 3, n. 8, pág. e2013761-e2013761, 2020.

Published

2022-09-29

How to Cite

PASSOS, B. G.; ARAGAO, G. M. M.; SOBRINHO, A. K. F.; DA SILVA, C. H. L. V.; ERTHAL, G. L.; RIEDEL, C. C. N.; CAVALCANTI, J. V. O.; ROCHA, J. O. Fatores de risco para Síndrome de Burnout entre médicos: Risk factors for burnout syndrome among physicians. Brazilian Journal of Health Review, [S. l.], v. 5, n. 5, p. 19965–19971, 2022. DOI: 10.34119/bjhrv5n5-172. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BJHR/article/view/52610. Acesso em: 23 apr. 2024.

Issue

Section

Original Papers