O perfil epidemiológico da AIDS no Brasil / The epidemiological profile of AIDS in Brazil

Authors

  • Lívia Garcia Teixeira
  • Bernardo Lucas Fernandes Chagas
  • Fernanda Silvério Alves
  • Gabriel Machado Souto Padron
  • Júlia da Cunha Ribeiro
  • Rodrigo Claudino do Amaral
  • Priscila Capelari Orsolin
  • Valter Paz do Nascimento Júnior

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n1-174

Keywords:

AIDS, Perfil Epidemiológico, Brasil.

Abstract

Introdução: A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) causada pelo vírus da Imunodeficiência humana (HIV) é uma doença que surge após um período prolongado de incubação do vírus HIV. Este enfraquece o sistema imune, deixando o infectado vulnerável ao ataque por muitos outros organismos infecciosos. Atualmente, continua sendo um grande problema de saúde pública mundial, pois é estimado que, no mundo todo, existem 38 milhões de pessoas vivendo com o vírus, e mais de 33 milhões de mortes foram registradas até o fim de 2019. Objetivo: o objetivo deste estudo é utilizar informações do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) para determinar o perfil epidemiológico da AIDS no Brasil, no período de 2015 a 2020. Metodologia: Realizou-se um estudo epidemiológico descritivo, retrospectivo, com abordagem quantitativa. Os dados foram obtidos por meio de consulta ao DATASUS, na base de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN).  Resultados e Discussão: foram notificados 118.228 casos de AIDS no Brasil entre janeiro de 2015 e junho de 2020, sendo o maior número de casos nas regiões Sudeste e Nordeste. Foi observada também uma diminuição do número de casos ao longo dos últimos anos, visto que 23% dos casos ocorreram em 2015, seguidos de 21% em 2016, 19% em 2017, 17,7% em 2018 e 15,3% em 2019. No ano de 2020 ocorreram apenas 4% dos casos. Vale salientar, entretanto, que a análise não englobou dados do ano todo (apenas até junho). Houve um maior número de casos entre pessoas do gênero masculino, de 20-49 anos, bissexuais, pardas, com ensino médio completo. Conclusão: concluiu-se por meio deste estudo a necessidade da notificação de casos para traçar um perfil epidemiológico condizente com a realidade brasileira para a criação de políticas públicas de saúde voltadas para a melhoria do panorama dessa doença.

References

CACHAY, E. R. et al. Infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). 2021. Disponível em: https: < https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/infec>. Acesso em: 25 nov. 2021.

MUNIZ, F. C. de O. et al. Pacientes críticos com hiv/aids: fatores associados às complicações. 2018. 16f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Terapia Intensiva, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador, 2018. Disponível em: <https://repositorio.bahiana.edu.br:8443/jspui/handle/bahiana/3367>. Acesso em: 21 nov. 2021.

Biblioteca Virtual em Saúde (comp.). HIV e aids. 2016. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/hiv-e-aids/>. Acesso em: 29 nov. 2021.

Programa Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde. A epidemia da AIDS através do tempo. Disponível em: <https://www.ioc.fiocruz.br/aids20anos/linhadotempo.html>. Acesso em: 18 ago. 2021.

OPAS (org.). HIV/AIDS. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/topicos/hivaids>. Acesso em: 14 out. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Aids/HIV: o que é, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/aids-hiv>. Acesso em: 29 nov. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico HIV/Aids 2020. Disponível em: http:/www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletim-epidemiologico-hivaids-2020>. Acesso em: 19 set. 2021.

TRINDADE, F. F. et al. Perfil epidemiológico e análise de Tendência de HIV/AIDS/ Epidemiological profile and trend analysis of HIV/AIDS/ Perfil epidemiológico y análisis de tendencia del HIV/SIDA. Journal Health NPEPS, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 153–165, 2019. DOI: 10.30681/25261010. Disponível em: <https://periodicos.unemat.br/index.php/ jhnpeps/article/view/3394>. Acesso em: 9 dez. 2021.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Painel de Indicadores. IBGE, 2019. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/indicadores.html>. Acesso em: 19 de setembro de 2021.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades e Estados. 2019. Disponível em: . Acesso em: 19 de setembro de 2021.

BRITO A. M. et al. AIDS e infecção pelo HIV no Brasil: uma epidemia multifacetada. Revista Sociedade Brasileira de Medicina, [s. l], v. 2, n. 34, p. 207-217, mar-abr. 2000

Departamento de Condições Cônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Casos de Aids diminuem no Brasil, [internet], 2019. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/casos-de-aids-diminuem-no-brasil>. Acesso em: 29 nov. 2021.

BRASIL. Secretaria de Vigilância em Saúde − Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico HIV / Aids. Secretaria Vigilância em Saúde [Internet]. 2020. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletim-epidemiologico-hivaids-2020>. Acesso em: 19 set. 2021.

NUNES, A. A. et al. Análise do perfil de pacientes com HIV/Aids hospitalizados após introdução da terapia antirretroviral (HAART). Ciência e Saúde Coletiva, [s. l], v. 10, n. 20, p. 3191-3198, out. 2015.

PEREIRA, G. F. M. et al. HIV/aids, hepatites virais e outras IST no Brasil: tendências epidemiológicas. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 22, n. 1, set. 2019.

KNAUTH, D. R. et al. O diagnóstico do HIV/aids em homens heterossexuais: a surpresa permanece mesmo após mais de 30 anos de epidemia. Cadernos de Saúde Pública, v. 36, p. e00170118, 2020.

POTTES, F. A. et al. Aids e envelhecimento: características dos casos com idade igual ou maior que 50 anos em Pernambuco, de 1990 a 2000. Revista brasileira de epidemiologia, v. 10, p. 338-351, 2007.

FERREIRA, P. M.; FÁVERO, M.; DELCAMPO, A. Avaliação do impacto de um programa de educação sexual no primeiro ciclo de escolaridade. Educação: Teoria e Prática, v. 24, n. 45, p. 76, 2014.

CAMPANA, P. Por que a Aids predomina entre jovens gays negros e pardos? Carta Capital [internet]. 2019. Disponível em: <https://www.cartacapital.com.br/blogs/saudelgbt/ por-que-a-aids-predomina-entre-jovens-gays-negros-e-pardos/>. Acesso em: 19 nov. 2021.

Published

2022-01-31

How to Cite

TEIXEIRA, L. G.; CHAGAS, B. L. F.; ALVES, F. S.; PADRON, G. M. S.; RIBEIRO, J. da C.; DO AMARAL, R. C.; ORSOLIN, P. C.; JÚNIOR, V. P. do N. O perfil epidemiológico da AIDS no Brasil / The epidemiological profile of AIDS in Brazil. Brazilian Journal of Health Review, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 1980–1992, 2022. DOI: 10.34119/bjhrv5n1-174. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BJHR/article/view/43504. Acesso em: 23 apr. 2024.

Issue

Section

Original Papers